seg. jan 24th, 2022
Olimpíadas de Tóquio relatam primeiro caso COVID-19 pós-competição

A primeira infecção por COVID-19 de um atleta nas Olimpíadas de Tóquio após a competição foi confirmada, disseram os organizadores dos jogos no domingo, em meio a preocupações públicas sobre a disseminação do coronavírus.

O remador holandês Finn Florijn testou positivo para COVID-19 depois de competir em sua bateria nas Olimpíadas na sexta-feira, de acordo com os organizadores.

O jovem de 21 anos, que estava hospedado na vila dos atletas, perdeu a corrida de repescagem de sábado em um único barco e está isolado em um local separado.

O comitê organizador olímpico disse que está trabalhando para determinar os contatos próximos ao atleta.  Outro membro da equipe holandesa de remo, não um atleta, testou positivo para COVID-19 na quinta-feira.

Os eventos de remo no domingo foram realizados conforme programado.

O comitê relatou um total de 10 novas infecções relacionadas às Olimpíadas no domingo, incluindo outro atleta do exterior, elevando o total desde o início deste mês para 132.

O total inclui seis oficiais de jogos, um contratado e um membro da mídia. Um oficial estava hospedado na vila dos atletas.

Os dados datam de 1º de julho e não incluem atletas e funcionários com teste positivo em campos de treinamento pré-jogos no Japão.

Separadamente, a polícia metropolitana de Tóquio disse que nove policiais que trabalhavam na segurança das instalações olímpicas antes do início oficial dos jogos na sexta-feira testaram positivo para COVID-19.

Os policiais, todos na faixa dos 20 e 30 anos, pertencem ao mesmo esquadrão cedido pela polícia da província de Hyogo. Cerca de 40 outras pessoas que compartilhavam instalações sanitárias com eles em suas acomodações foram isoladas, de acordo com a polícia metropolitana.