sáb. fev 4th, 2023

O presidente do comitê organizador dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Tóquio disse que as reuniões com a presença de um grande número de mulheres demoram muito.

O comentário de Mori Yoshiro veio durante uma reunião extraordinária de conselheiros do Comitê Olímpico do Japão na quarta-feira.

Mais de 50 participantes, alguns deles online, foram informados sobre uma revisão das regras para escolher novos executivos em junho e o objetivo de que as mulheres representassem pelo menos 40% dos membros do conselho.

Mori falou enquanto a reunião se aproximava do fim. Ele se referiu a um número crescente de mulheres membros da diretoria da Japan Rugby Football Union, onde ele atuou por muito tempo como chefe.

“Se um membro (feminino) levanta a mão para falar, todos os outros sentem a necessidade de falar também. Todo mundo acaba falando alguma coisa. Portanto, temos que ter certeza de que o tempo de fala é um pouco restrito, ou eles têm dificuldade em terminar, que é irritante “, disse Mori, de acordo com o relatório do Asahi, um dos principais jornais diários japoneses. “Temos cerca de sete mulheres no comitê organizador, mas todos entendem seu lugar.”

Repercussão dos comentários de Mori

Após causar um alvoroço nas redes sociais, o presidente do comitê organizador das Olimpíadas de Tóquio disse que pode precisar renunciar por causa de comentários que fez sobre as mulheres, afirmou o jornal Mainichi na quinta-feira.

Yoshiro Mori, ex-primeiro-ministro japonês e chefe do comitê de Tóquio que organiza os adiados Jogos de Verão este ano, causou alvoroço com comentários de que as reuniões do conselho com mulheres demoram muito porque elas falam demais, o que é “irritante”.

A raiva com os comentários de Mori provavelmente afastará ainda mais o público japonês que está cada vez mais desconfiado das tentativas de Tóquio de realizar os Jogos durante uma pandemia.

Quase 80% do público japonês se opõe à realização dos Jogos conforme programado para julho, de acordo com a pesquisa mais recente.

Os comentários de Mori causaram furor imediato nas redes sociais, onde a hashtag “Mori, por favor, renuncie” estava em alta no Twitter no Japão na manhã de quinta-feira.

Em um aparente protesto aos comentários de Mori, Noriko Mizoguchi, uma ex-medalha de prata no judô, tuitou o código de ética do Comitê Olímpico Internacional e disse que qualquer tipo de assédio deve ser rejeitado.

Mori fez os comentários, alguns dos quais recebidos com risos, em uma reunião com membros do Comitê Olímpico Japonês, relatou o Asahi. O New York Times também relatou a história.

A Kyodo News informou que Mori também elogiou o calibre das sete mulheres atualmente sentadas no conselho de 35 membros, dizendo que muitas já haviam servido em ligas esportivas e tinham valiosa experiência internacional.

De acordo com o código de governança do comitê, estabelecido em 2019, ele deve ter como objetivo garantir que 40% dos cargos no conselho sejam ocupados por mulheres.