ter. mar 9th, 2021
Brasil lança vacina chinesa COVID-19

O Brasil começou a administrar uma vacina contra o coronavírus desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac Biotech.

Trabalhadores da saúde da cidade de São Paulo começaram a receber as vacinas no domingo.

No início do dia, as autoridades brasileiras deram sua aprovação para o uso emergencial da vacina de Sinovac e outra da farmacêutica britânica AstraZeneca.

Autoridades brasileiras dizem que a vacina da Sinovac custa menos do que as desenvolvidas por empresas americanas e europeias. Eles também dizem que o lado chinês cooperou com eles oferecendo dados. Eles acrescentam que a segurança da vacina foi garantida.

Primeira dose

A primeira dose de vacina contra covid-19 foi aplicada no Brasil neste domingo (17), após a aprovação pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) do uso emergencial da CoronaVac. A primeira pessoa vacinada no país é a enfermeira Mônica Calazans, de 54 anos, moradora de Itaquera, com perfil de alto risco para complicações da covid-19.

“O senhor não tem noção da minha felicidade”, disse Mônica ao governador João Doria, antes de tomar a vacina. “Dez meses de sofrimento.”

Mônica é obesa, hipertensa e diabética. Apesar de se enquadrar nessas condições, em maio do ano passado, no auge da primeira onda da doença, ela se inscreveu para vagas de CTD (Contrato por Tempo Determinado), escolhendo trabalhar no Emílio Ribas, no epicentro do combate à pandemia. Ela trabalha em turnos de 12 horas, em dias alternados, na UTI do Emílio Ribas, hospital de referência para casos graves da doença. O setor tem 60 leitos exclusivos para o atendimento a pacientes com coronavírus, com taxa de ocupação média de 90%.

“Não é apenas uma vacina. É o recomeço de uma vida que pode ser justa, sem preconceitos e com garantia de que todos nós teremos as mesmas condições de viver dignamente, com saúde e bem-estar”, afirmou a enfermeira.

Primeira indígena

Logo após a primeira dose ter sido aplicada, foi a vez da primeira indígena ser imunizada contra a covid-19. Vanuzia Costa Santos, de 50 anos, é moradora da aldeia multiétnica Filhos dessa Terra, localizada no bairro Cabuçu Guarulhos.

Primeira indígena vacinada no país, Vanuzia Santos é técnica em enfermagem
Primeira indígena vacinada no país, Vanuzia Santos é técnica em enfermagem

Santos atua como técnica de enfermagem e assistente social, e é também presidente do Conselho do Povo Kaimbé, originário do Nordeste. Ela veio para o estado de São Paulo em 1988. “Fiquei muito feliz de participar deste momento. Sou defensora da vida, de outras vacinas, da prevenção, saúde. Devemos valorizar a educação, a ciência, e isso pode ser conciliado mantendo uma crença, com as rezes e aa medicina tradicional do meu povo”, afirma. 

Vanuzia orienta as comunidades sobre a suscetibilidade aos vírus, relembrando sua experiência como técnica de enfermagem na Casa do Índio, onde trabalhou por dez anos. Vanuzia concluiu a graduação em Assistência Social com bolsa integral pela PUC-SP no ano passado, com aulas à distância no último ano devido à pandemia.

O governo diz que quer expandir seu programa de vacinação. Mas não garantiu doses suficientes para a população de mais de 200 milhões.

Cerca de 8,4 milhões de pessoas no Brasil contraíram o vírus até agora. O número de mortos ultrapassou 200.000.