qua. out 5th, 2022

O subcomitê de contramedidas do governo japonês para o coronavírus apresentou um plano no dia 23 de dezembro sobre os grupos prioritários para as vacinas COVID-19 e como serão realizadas.

O subcomitê, chefiado pelo presidente Shigeru Omi, propôs que os profissionais de saúde e outras pessoas que freqüentemente entram em contato com indivíduos infectados sejam vacinados primeiro. O plano delineou que os idosos deveriam ser o próximo grupo a ser administrado as vacinas, seguido pelos pacientes com doenças subjacentes, bem como pela equipe em instalações de cuidados para os idosos.

De acordo com a estrutura proposta, pessoas com 65 anos ou mais são consideradas idosas e aquelas com condições subjacentes incluem doenças respiratórias crônicas, doenças cardíacas, doenças renais, câncer, bem como pessoas com um nível de índice de massa corporal de pelo menos 30 que recebem regularmente tratamento em ou são admitidos em hospitais. A estrutura será finalizada no final de janeiro do próximo ano.

A Pfizer Inc., uma importante empresa farmacêutica dos Estados Unidos, solicitou em 18 de dezembro ao Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar do Japão a aprovação da vacina que desenvolveu. O ministério da saúde está definido para determinar se vai autorizar a vacina até fevereiro de 2021. Considerando esses desenvolvimentos, o subcomitê apresentou aos governos locais em todo o país um cronograma sobre os procedimentos para a realização de vacinações.

De acordo com o cronograma, será assegurado um sistema de vacinação prioritária a partir de março do próximo ano para o grupo prioritário de cerca de 3 milhões de pessoas, entre profissionais de saúde, equipes de resgate e funcionários de centros de saúde públicos, que freqüentemente entram em contato com os infetado. 

Mas antes disso, serão feitos preparativos para que cerca de 10.000 profissionais de saúde possam ser vacinados com antecedência entre o final de fevereiro e o início de março, a fim de examinar se há mudanças nas condições de saúde após as vacinações.

Será montada uma estrutura para permitir a vacinação prioritária de idosos com 65 anos ou mais, estimados em 30 milhões a 40 milhões de pessoas, a partir do final de março e início de abril. A vacinação para indivíduos com doenças de base será realizada em ou após abril, enquanto se verifica o andamento das vacinações para idosos.