dom. nov 29th, 2020

O governo brasileiro anunciou a morte de um voluntário dos experimentos clínicos da vacina contra o coronavírus que está sendo desenvolvida pela companhia britânica AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford. A imprensa do Brasil informa que o voluntário foi administrado com placebo, e não com a vacina em estudo.

Autoridades sanitárias no Brasil afirmaram, na quarta-feira, que o voluntário, do sexo masculino, morreu este mês. As autoridades, no entanto, não revelaram informações mais detalhadas, e deram a entender que os experimentos vão continuar.

A imprensa brasileira divulgou que o voluntário era um médico de 28 anos do Rio de Janeiro, que participava dos experimentos desde julho. As reportagens afirmam que o voluntário foi infectado pelo coronavírus em setembro.

A AstraZeneca informou à NHK que todos os acontecimentos médicos relevantes são cuidadosamente supervisionados por avaliadores dos experimentos, por um comitê independente de monitoramento de segurança e pelas autoridades regulatórias. A companhia afirma que nenhuma avaliação despertou qualquer preocupação no que diz respeito à continuidade do estudo em andamento.

A Universidade de Oxford afirmou que uma avaliação minuciosa não revelou nenhuma preocupação sobre a segurança dos experimentos clínicos.



Seikatsu Magazine Japão