dom. nov 29th, 2020

O governo japonês pediu na sexta-feira às autoridades locais e lobbies empresariais que dessem aos trabalhadores mais tempo livre durante o feriado de Ano Novo, quando muitas pessoas visitam parentes ou saem de férias, para mitigar a aglomeração e, assim, reduzir o risco de propagação o novo coronavírus.

Yasutoshi Nishimura, o ministro responsável pela resposta do governo ao coronavírus, fez o pedido enquanto mantinha conversas com a Associação Nacional de Governadores, bem como com a Federação Empresarial do Japão, também conhecida como Keidanren, e dois outros grandes lobbies de negócios no país.

“As famílias gastam mais quando têm dias de folga antes e depois dos feriados de fim de ano e de ano novo”, disse Nishimura, ao mesmo tempo em que pede medidas preventivas no Halloween, outra ocasião em que se teme a disseminação do vírus.

O governador de Tokushima, Kamon Iizumi, que dirige a associação dos governadores, apoiou a sugestão do governo, dizendo: “É uma grande oportunidade para definir uma nova medida do ponto de vista da reforma das práticas de trabalho.”

O ministro da Economia, Comércio e Indústria, Hiroshi Kajiyama, disse separadamente que enviou o mesmo pedido a cerca de 900 organizações empresariais.

O feriado de Ano Novo é uma das épocas mais movimentadas para viagens no Japão, já que trens, aviões e rodovias ficam lotados de pessoas voltando para suas cidades natais para ver a família e amigos ou aproveitando a oportunidade para ir de férias. As pessoas também fazem sua primeira visita ao santuário xintoísta do ano ou vão às compras para pechinchas de ano novo.

O governo teme que essa atividade se concentre nos primeiros três dias do Ano Novo, já que o período de férias que se aproxima é mais curto do que o normal, com 4 de janeiro sendo uma segunda-feira, tornando-o um dia útil.

Um subcomitê do governo sobre o coronavírus propôs estender o período de férias até 11 de janeiro para que as pessoas possam ser flexíveis no planejamento das férias.

Após as conversas online, Nobuyuki Koga, que preside o conselho de conselheiros de Keidanren, disse que a organização e os outros dois grandes lobbies de negócios estão planejando realizar sua festa de Ano Novo “sentados, sem beber e comer, entre um número limitado de participantes . “

Além do feriado de Ano Novo, o subcomitê também pediu contra-medidas para o Halloween, incluindo encorajar as pessoas a evitar comer e beber nas ruas.

O distrito de Shibuya, em Tóquio, que geralmente atrai multidões de foliões fantasiados à noite, pediu às pessoas que não viessem este ano devido a preocupações com o COVID-19.

O total cumulativo de novos casos confirmados de coronavírus no Japão chegou a 100.000 na quinta-feira, incluindo cerca de 700 de um navio de cruzeiro que foi colocado em quarentena em Yokohama em fevereiro, com um pouco mais de 1.700 mortes atribuídas ao coronavírus.

O país registrou um aumento recente no número de novas infecções, coincidindo com a retomada da atividade econômica.


Fonte: Mainichi Shinbum