sex. out 23rd, 2020

O magnata fugitivo dos automóveis Carlos Ghosn e sua esposa participarão de um documentário e de uma minissérie sobre sua vida, disseram os co-produtores Alef One da França e MBC da Arábia Saudita na segunda-feira.

O ex-chefe da Nissan foi preso no Japão em novembro de 2018 sob acusações de má conduta financeira e passou 130 dias detido, antes de escapar dramaticamente da fiança e se contrabandear para fora do país no ano passado.

O empresário de 66 anos apareceu pela primeira vez em público no Líbano em janeiro, alegando que foi vítima de um complô da Nissan e de autoridades japonesas.

O documentário e a série de seis partes traçarão a história colorida de Ghosn, “de seu status como um dos chefes mais poderosos da indústria automobilística ao de fugitivo mais procurado do Japão após sua fuga para o Líbano, onde agora reside”, disseram os produtores.

“Ambas as produções incluirão contribuições exclusivas de Carlos e Carole Ghosn”, disseram eles em um comunicado.

As filmagens do documentário começaram no mês passado em Beirute e devem continuar até o final do ano em locações na França, Japão e Estados Unidos, disseram os produtores, e incluirão entrevistas com o casal Ghosn e outras figuras importantes.

Como diretor, eles contrataram o britânico Nick Green, cujo documentário inclui “A Dangerous Dynasty: House of Assad”.

A minissérie composta por seis episódios de uma hora será baseada em um roteiro supervisionado por Mark Goffman, que foi escritor de “The West Wing” e, mais recentemente, produtor executivo da série da Netflix “The Umbrella Academy”.

A série Ghosn, a ser rodada em 2021, será dirigida por Charlotte Brandstrom, de fama “Conspiracy of Silence” e “Madam Secretary”.