sex. out 23rd, 2020

A mística dos outrora temidos guerreiros secretos do Japão, espalhados por filmes e ficção, está presente hoje no primeiro graduado em estudos ninjas do mundo, que também cultiva sua própria cultura, como muitos de seus antecessores fizeram.

O ninja moderno vestido de preto é Genichi Mitsuhashi, de 45 anos, que afirma ter percebido que ninjutsu, ou arte ninja, é a chave da sobrevivência depois que ele foi mantido sob a mira de uma arma durante uma estadia no Brasil aos 19 anos.

“Você tem permissão para usar armas ou usar o corpo de seu inimigo”, disse Mitsuhashi, descrevendo como ele foi atraído para aprender sobre os ninjas.

“Você pode usar tudo o que precisa para sobreviver. É baseado na realidade. É libertador e flexível.”

Mitsuhashi é o primeiro dos sete alunos matriculados a terminar um programa de dois anos sobre história, tradições, técnicas de luta e sobrevivência ninja com mais dois dias de trabalho de campo, lançado em 2018 pela Universidade Mie, a sudoeste de Tóquio.

Enquanto os filmes de Hollywood dão aos lutadores habilidades sobre-humanas de correr na água ou desaparecerem repentinamente, muitos deles, quando não estão em missões de espionagem, viviam como agricultores humildes, aprimorando secretamente suas habilidades nas tarefas agrícolas.

Como os ninjas de antigamente, Mitsuhashi cultiva seu próprio arroz e legumes.

“Não devemos escolher um aspecto, mas devemos ter como objetivo aprender o modo de vida deles”, disse Mitsuhashi sobre os ninjas, enquanto balançava uma espada de madeira. “Isso inclui autodefesa, um estilo de vida sustentável… Acho que devemos buscar um modo de vida abrangente, e devemos aprender isso com os ninjas.”