sex. jan 27th, 2023

Tokyo – Mais de 2 milhões de pessoas usaram a campanha de subsídio de viagens do Japão desde que ela começou em julho, em uma tentativa de reviver a indústria do turismo nacional duramente atingida pela nova pandemia de coronavírus, disse o porta-voz do governo do país na segunda-feira.

O secretário-chefe do gabinete, Yoshihide Suga, disse que houve 10 casos relatados de infecções em hotéis e outros meios de hospedagem registrados na campanha “Go To Travel”, lançada em 22 de julho.

No âmbito do programa, o governo cobre parte dos custos das viagens turísticas nacionais. No entanto, a campanha foi lançada em desordem antes de ser lançada, quando o governo tomou a decisão de excluir as viagens de e para Tóquio e de residentes da capital em resposta a um aumento nas infecções.

O número exato de pessoas que usam a campanha não foi divulgado segunda-feira e a contagem do governo não leva em consideração as pessoas que fizeram mais de uma viagem.

Apesar das preocupações de que a campanha possa levar a um aumento nas infecções, Suga disse que o governo continuará o programa, levando em consideração as opiniões dos especialistas em saúde quando necessário para prevenir a propagação do vírus.

“São 9 milhões de pessoas trabalhando no turismo (indústria) e podemos dizer que (a indústria) está morrendo”, disse ele em entrevista coletiva.

De acordo com o governo, 16.703, ou apenas cerca de metade das operadoras de hospedagem elegíveis, já se inscreveram no programa até quinta-feira, algumas delas evitando o registro devido ao complexo processo de reivindicação de benefícios e aos problemas de informar as associações de viagens e outras partes do número de convidados que receberam.

Com muitas operadoras de hospedagem de pequeno e médio porte optando por não se registrar, a Agência de Turismo do Japão estendeu seu prazo, originalmente estabelecido para sexta-feira.

Sob o impulso do turismo de 1,35 trilhão de ienes (US $ 12,7 bilhões), o governo acabará subsidiando até a metade das despesas de viagem de uma pessoa, incluindo acomodação e transporte. Inicialmente, oferece descontos no valor de 35% dos custos totais.

Os 15% restantes serão cobertos por cupons a serem emitidos após setembro para alimentação, compras e outras atividades de viagem oferecidas nos destinos.