dom. nov 29th, 2020

O primeiro-ministro Shinzo Abe renunciou ao cargo na tarde desta sexta-feira (28). O anúncio foi durante uma coletiva em Tóquio e a alegação para deixar o mais importante cargo do país, são problemas de saúde.

A saúde de Abe tem sido objeto de intensa especulação desde que ele foi submetido a um exame no Hospital Universitário Keio, em Tóquio, em 14 de agosto, e depois voltou para um exame de acompanhamento na última segunda-feira.

Com desempenhos recentes surgiram relatos de que sua condição de saúde havia diminuído desde julho e piorado no início de agosto. Isso alimentou temores dentro do governante Partido Liberal Democrata de Abe de que ele não teria condições de continuar até o fim do mandato, instigando especulações sobre quem poderia sucedê-lo.

A notícia de que ele pretendia deixar o cargo nesta sexta-feira foi divulgado pela NHK, deixando o centro político de Nagatacho em turbulência sobre a questão de quem assumirá o comando.

No começo da semana, Shinzo Abe completou 2.799 dias no cargo e se tornou o primeiro-ministro mais antigo do país em termos de mandato consecutivo.

Em seu pronunciamento de renúncia ao cargo, Abe disse que vai trabalhar até que seja escolhido o próximo primeiro ministro do país e este assuma o comando do Japão.