qui. jun 30th, 2022

O Ministério do Trabalho do Japão declarou que trabalhadores não regulares (contratados por tempo limitado, baitos ,Keiyaku shain) representam cerca de 60% das pessoas que perderam seus empregos recentemente devido à pandemia de coronavírus.

Segundo o ministério, 4.210 pessoas foram demitidas ou tiveram seus contratos rescindidos. Desses, quase 2.600 eram de trabalho por meio período e funcionários temporários.

Trabalhadores não regulares representam cerca de 80% das perdas de empregos na indústria de serviços alimentícios, que eram cerca de 1.360.

Outros setores atingidos incluem acomodações, manufatura, varejo e entretenimento.

Esta é a segunda semana consecutiva em que mais de 4.000 pessoas perderam o emprego devido ao coronavírus. O total desde janeiro chegou a quase 21.000.

O ministério diz que o número de perdas de empregos está aumentando, principalmente no setor de serviços alimentícios. O governo está pedindo aos empregadores que solicitem subsídios do governo para manter empregos.

O setor de turismo está entre os mais atingidos pela pandemia de coronavírus em meio a proibições de entrada e pede que os moradores fiquem em casa.

As vendas em lojas de departamento e restaurantes também caíram significativamente desde que um estado de emergência foi declarado em Tóquio e em outras áreas urbanas em 7 de abril e posteriormente expandido em todo o país. Muitas empresas ainda estão operando em horário reduzido, mesmo após o levantamento completo do estado de emergência em 25 de maio.

Por prefeitura, os trabalhadores em Tóquio foram os mais atingidos, com 3.164 demitidos, seguidos por Osaka, com 2.998, e Hokkaido, com 1.149.