sex. out 23rd, 2020

Faça seu cadastro e saiba das regras. Participe!

Aqui no Japão, é costume o marido entregar o seu salário para a sua esposa fazer o controle financeiro de casa. 

Quando cheguei no Japão há mais de 20 anos, achava esse costume um pouco diferente da nossa cultura. Nessa época ao convidar um amigo japonês para sair, ele disse que precisava consultar a esposa, pois o seu okozukai (お小遣い) tinha acabado naquele mês.

O termo okozukai ou otto kozukai (夫小遣い) pode ser traduzido como mesada, subsídio ou dinheiro para gastos pessoais.

No Japão essa prática é comum entre os casais, onde a esposa passa uma mesada para o marido, para seus gastos pessoais ou até para sair com seus colegas.

Apesar da fama de ser submissa que a mulher japonesa ganhou na mídia, é ela quem controla as finanças da família, mesmo que só seu marido trabalhe. Essa tradição é muito antiga e até hoje é adotada pela maioria das famílias japonesas.

Foi para facilitar esse controle financeiro que surgiu a agenda de finanças pessoais tradicional do Japão, o Kakebo. 

O livro tem o objetivo de incentivar o usuário a gerenciar sua economia doméstica e manter a disciplina quanto a suas próprias finanças.

Segundo os historiadores esse método de anotar tudo num caderno foi idealizado por Motoko Hani (1873-1957), a primeira jornalista mulher do Japão e uma das grandes responsáveis pela modernização e emancipação das mulheres no país.

Motoko Hani (1873-1957), a primeira jornalista mulher no Japão.

Como jornalista, em 1903, criou aquela que é ainda hoje a revista feminina mais antiga do Japão, Fujin no Tomo (A companheira da mulher), através da qual incentivou as leitoras a registar sempre as suas receitas, despesas e poupanças, fomentando assim o controle diário da economia doméstica.

Em 1904, Motoko Hani decidiu lançar o primeiro Kakebo da história, cujo êxito fez com que se difundisse massivamente, para todas as camadas sociais.

Desde então o Kakebo (livro de contas da poupança doméstica), é a solução inovadora que os japoneses usam todos os dias para gerir as suas economias pessoais e retirar o máximo proveito do dinheiro desde essa época.

Esta ferramenta poderá ajudar você a controlar a economia do seu lar e da sua família, e gerir o seu consumo de uma forma mais adequada.

No fim do plano simples de doze meses, você terá aprendido a poupar e a gastar melhor o seu dinheiro para obter uma vida sem surpresas desagradáveis nas finanças.

Os objetivos serão definidos por você e o Kakebo o ajudará a alcançá-los, fazendo com que:

  • Registre e controle de todas as suas despesas e receitas;
  • Analise os seus resultados mês a mês e resuma posteriormente em gráficos anuais;
  • Mantenha um registo atualizado de todas as suas contas, sem ter de recorrer as planilhas de cálculos complexas e confusas;
  • Veja quais são as suas despesas menos necessárias e mais dispensáveis;
  • Saiba claramente quanto, como e em que produtos e serviços pode e deve gastar o seu dinheiro.

O Kakebo é o método perfeito tanto para pessoas com emprego estável, como autônomos ou desempregados. Sejam casados, solteiros, adolescentes ou adultos, essa é uma forma simples, acessível e eficaz de gerir o seu dinheiro sem lidar com softwares, smartphones, aplicativos ou planilhas de Excel complicadas.

Com tempo e muita disciplina, o Kakebo pode ser uma ferramenta muito útil no dia-a-dia e fazer a diferença em sua vida financeira.

Um forte abraço,

Marcos Morishigue